2º dia

Faro é uma cidade pequena. É a primeira cidade do Estado do Pará, para quem vem de barco, descendo o rio. Casas simples, muitos cachorros na rua e uma vista deslumbrante do rio Nhamundá, afluente do Rio Negro. Quem organizou o mutirão daqui, foi a Antonela, enfermeira, numa cidade onde os enfermeiros fazem de tudo, pois o médico só vem uma vez por semana e olhe lá.

Muitos cães pelas ruas

e nas praias fluviais

boa parte deve ser semi-domiciliada

Trouxemos de São Paulo cerca de 150 kg de bagagens, entre medicamentos, equipamentos e instrumentos e decidimos por conta do peso e do excesso de bagagem que as bolsas de soro que usaríamos seriam compradas no Amazonas, pois as caixas são muito pesadas. Porém em Parintins, nossa primeira parada, percorremos várias farmácias e não encontramos nada de soro para comprar.

Eu comecei a ficar preocupado, pois carregamos cateters, equipos, autoclave, oximetro, laringoscópio e outros equipamentos e não teria cabimento operar sem manter os animais com uma fluidoterapia endovenosa durante a cirurgia. A enfermeira Antonela tentou me tranquilizar dizendo que não me preocupasse, que em Faro eu encontraria soro para vender. Ai que me preocupei mesmo, pois se em Parintins, com 60 mil habitantes não havia soro para vender, ainda mais em Faro, com 6 mil pessoas, uma cidade bem pequena.

Chegando aqui ela nos levou a um mercadinho, que vendia chinelos, roupas, bolachas e medicamentos, tudo sobre o mesmo teto. Para mim era óbvio que não teria soro e eu não iria operar deste jeito. A Rosangela Ribeiro mesmo assim entrou no estabelecimento e perguntou:

– A Senhora vende soro?

Ao que a vendedora respondeu:

– A Senhora quer ringer, fisiológico ou glicosado?

Ficamos surpresos com a resposta e compramos o estoque todo da loja e encomendamos mais para o dia seguinte. Depois, curioso, fui perguntar por que ela tinha soro em estoque.

– Olha moço, eu primeiro vejo o que esta faltando no posto de saúde da cidade. Ai eu compro. As pessoas doentes compram os remédios aqui e levam para o posto para serem medicadas, porque geralmente lá não tem nada.

Entendi e torci para ninguém precisar de soro hoje, pois acabamos com o estoque dela.

Natureza exuberante

Enorme potencial turístico inexplorado. Só pensam em criar boi

Parece que o motivo da pindaíba da município é que no censo retrasado o prefeito deu um jeito de inflar artificialmente a população, e registrou 16 mil habitantes, para conseguir mais verbas federais. Agora o novo senso mostrou que na verdade tem dez mil pessoas a menos, e as verbas caíram pela metade e então falta dinheiro para tudo, inclusive para por soro no posto de saúde. O povo agora está em campanha para dividir o Pará, criando os Estados de Tapajós e Carajás. Faz sentido, pois numa região onde só se viaja de barco, um cidadão leva 7 dias de viagem para ir de Faro até Belém, a capital do Estado. Penso que dificilmente vão, e mais difícil ainda deve ser aparecer por aqui o governador do Estado.

Do lado de cá do rio, é Pará, do lado de lá, Amazonas

Na reunião preparatória do dia anterior, a Antonela disse estar feliz porque haviam 20 agentes de saúde voluntários para nos ajudar. Eu sugeri que ela dispensasse 19 e ficasse só com um. Penso que equipes menores funcionam melhor e diminui o tumulto no trabalho. Porém ela e a Rosangela insistiram em manter os 20 ajudantes e gentilmente me disseram que cuidasse da minha parte, que era operar e deixasse o resto com elas. Depois que o dia acabou vi que elas estavam certas, as pessoas trabalharam empolgadas e foi praticamente um evento social para elas. Talvez não aconteça muita coisa diferente por aqui.

Sala de cirurgia improvisada no posto de saúde local

O mutirão de hoje correu bem. Nenhuma intercorrência e um entrosamento nota 7, o que é muito bom, para a primeira vez que trabalhamos juntos.

Dra Rosangela Ribeiro responsável pelas anestesias

Criança moradora local e seu cão

No final do dia chegou uma senhora com um leitão, com uma hérnia umbilical enorme, pedindo ajuda para operarmos o porquinho. Ela prometeu que se operamos não vai comê-lo. Tomará que cumpra com a palavra. Marcamos para amanhã.

A internet aqui é difícil, mas tentarei mandar mais notícias do Projeto Arca Amazonica, da WSPA, aqui nas cidades que margeiam o Rio Amazonas, na divisa entre o Amazonas e o Pará.

Mais fotos:

Agentes de saúde voluntárias, cuidando do pós cirúrgico

Legislativo local

Nosso público alvo

kits preparados para esterilização em autoclave

Parte da equipe local

Toda turma, inclusive o Curumim, porquinho junto a Dra Rosangela Ribeiro

Atenção: “O Veterinário Wilson Grassi está a convite da WSPA como cirurgião. Seus relatos retratam opinião pessoal sua e não são necessariamente endossadas pela entidade, sendo assim estes textos de sua inteira responsabilidade”

Anúncios

10 comentários (+add yours?)

  1. Vânia
    Nov 20, 2011 @ 04:54:07

    SEM PALAVRAS!! Parabéns!!

    Responder

  2. Luiza
    Nov 20, 2011 @ 11:13:38

    Que trabalho lindo!

    Responder

  3. analih
    Nov 20, 2011 @ 13:35:53

    Maravilhoso! Um dia também vou ajudar assim,tenho o profundo desejo de fazer semelhante mutirão aqui pelo nordeste!

    Responder

  4. Regina Bekebrede
    Nov 20, 2011 @ 15:58:01

    Que maravilhoso! Obrigada por nos incluir nessa Linda jornada.

    Responder

  5. ines oliveira
    Nov 20, 2011 @ 16:55:47

    Este trabalho no Amazonas está fazendo a diferença. Parabéns Doutor e a todos que estão auxiliando. Moro em Manaus e conheço de perto o descaso e os problemas existentes com os animais. Obrigada por esta atitude de vcs.

    Responder

  6. Vanessa
    Nov 20, 2011 @ 18:20:55

    Parabéns Dr. Wilson, a vossa determinação é fora do comum, consegue fazer vários trabalhos ao mesmo tempo com seriedade e competência, temos a sorte de termos o Sr. por perto.

    Responder

  7. ROSANIA PRADO
    Nov 20, 2011 @ 20:41:53

    PARABÉNS!!!! QUE DEUS ILUMINE VOCÊS A CADA SEGUNDO…!!! RECEBAM A MINHA ADMIRAÇÃO!!!!! ROSANIA PRADO BELO-HORIZONTE/M.G.

    Responder

  8. Liliane Barki
    Nov 21, 2011 @ 05:37:15

    “Veterinário sem Fronteiras”, eterno agradecimento em nome dos animais! Lindo trabalho. Liliane Barki, Brasília/DF

    Responder

  9. Simone Ferreira Lima
    Nov 22, 2011 @ 19:56:07

    Sem comentários, Dr. Wilson. É emocionante acompanhar o seu trabalho. Parabéns, que DEUS abençoe sempre você e sua equipe!!!!!

    Responder

  10. flavia
    Nov 23, 2011 @ 11:56:02

    Nossa que trabalho mais bonito. Adorei ler as noticias. Parabens a todos

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: